Central de Notícias

Tópicos

Notícias gerais

Estudo sugere que o consumo de café diminui o risco de insuficiência cardíaca

   Compartilhar notícia

Embora estudos anteriores tenham relacionado o consumo de café e cafeína a arritmias incidentes, um novo estudo, publicado no jornal Circulation: Heart Failure, baseado em dados agrupados de três grandes estudos epidemiológicos, indica que a ingestão de café foi associada a um menor risco de insuficiência cardíaca.

O estudo consistiu em uma análise de aprendizado de máquina do Framingham Heart Study, do ARIC Study e do Cardiovascular Heart Study. Os resultados fornecem aos médicos evidências validadas relacionadas ao impacto da ingestão de café no risco de insuficiência cardíaca, doença arterial coronariana e derrame em pacientes sem história de doença cardiovascular.

“A associação entre cafeína e redução do risco de insuficiência cardíaca foi surpreendente. Café e cafeína são frequentemente considerados pela população em geral como ‘ruins’ para o coração porque as pessoas os associam a palpitações, pressão alta, etc. A relação consistente entre o aumento do consumo de cafeína e a diminuição do risco de insuficiência cardíaca vira essa suposição de cabeça para baixo,” disse David Kao, MD, investigador sênior desse novo estudo e diretor médico do Colorado Center for Personalized Medicine da University of Colorado School of Medicine, em um comunicado.

Nesse contexto, o novo estudo investigou o domínio da dieta no FHS (Framingham Heart Study), no CHS (Cardiovascular Heart Study) e no estudo ARIC (Atherosclerosis Risk in Communities) para identificar fatores de estilo de vida e comportamentais potenciais associados à doença coronariana, IC e acidente vascular cerebral.

Foi utilizada a seleção de recursos de aprendizado de máquina com base na análise de floresta aleatória para identificar fatores de risco potenciais associados a doença arterial coronariana, acidente vascular cerebral e insuficiência cardíaca no FHS. Avaliou-se a significância das variáveis selecionadas usando a análise de riscos proporcionais de Cox univariável e multivariável ajustada para riscos cardiovasculares conhecidos. Os achados do FHS foram então validados usando o CHS e o ARIC.

Identificou-se vários fatores de risco dietéticos e comportamentais para desfechos de doenças cardiovasculares, incluindo estado civil, consumo de carne vermelha, consumo de leite integral e consumo de café. Entre essas variáveis dietéticas, o aumento do consumo de café foi associado à diminuição do risco de longo prazo de IC, de forma congruente no FHS, no ARIC e no CHS.

Nas análises iniciais, o consumo de café foi o único fator dietético significativamente associado a qualquer um dos resultados de interesse. Especificamente, o aumento do consumo de café com cafeína foi associado a um risco significativamente reduzido de insuficiência cardíaca (HR, 0,95 por xícara por dia [IC 95%, 0,91–0,99]; P = 0,02) e acidente vascular cerebral (HR, 0,94 por xícara/dia [IC 95%, 0,89-0,99]; P = 0,02), mas não de doença arterial coronariana (P = 0,21) ou doença cardiovascular (P = 0,59).

Descobriu-se, portanto, que o consumo maior de café está associado à redução do risco de insuficiência cardíaca em todos os três estudos. Estudos adicionais são necessários para definir melhor o papel, a possível causalidade e o mecanismo potencial do consumo de café como um potencial fator de risco modificável para insuficiência cardíaca.

Circulation: Heart Failure, Vol. 14, Nº 2, em 09 de fevereiro de 2021.


Comentários

Responder
gBqsPxAZ
18 Jul 2021
555
Responder
Wandick
16 Jul 2021
Qual a quantidade ou consumo diário em volume (ml) ?!?? Pode ser qq café.??
Responder
Paulo Hott de Amorim Junior
14 Jul 2021
Excelente artigo! Café para todos!!