Central de Notícias

Tópicos

Notícias gerais

Os médicos correm um risco mais elevado de AVC?

As consequências de trabalhar muitas horas: pessoas que trabalham horas excessivas durante 10 anos ou mais podem ter um risco 45% mais elevado de  acidente vascular cerebral (AVC), sugere uma nova investigação publicada no periódico Stroke.

Os investigadores examinaram os dados de 143592 pessoas da coorte francesa do estudo de base populacional chamado CONSTANCES. Trabalhar muitas horas foi definido como trabalhar mais de 10 horas diariamente durante, pelo menos, 50 dias por ano. Os fatores de risco cardiovascular e as ocorrências anteriores de AVC foram registadas em entrevistas médicas distintas.

No total, 1224 participantes sofreram AVC. O estudo concluiu que os participantes que trabalhavam muitas horas tinham um risco 29% mais elevado de AVC, e aqueles que trabalhavam muitas horas durante 10 anos ou mais tinham um risco 45% superior de AVC. A associação não apresentou quaisquer diferenças entre homens e mulheres, mas foi mais forte em funcionários com curso superior com menos de 50 anos de idade.

Paralelamente ao estudo acima, o CREMESP realizou um estudo retrospectivo que revela que doenças do aparelho circulatório foram a principal causa de morte entre os médicos do estado de São Paulo na última década, seja em número absoluto seja em proporção de mortes.

Neoplasia e doenças do aparelho respiratório são responsáveis pela segunda e terceira posição no ranking de causas de morte.

Sugere que mulheres médicas morreram, no período, em média, 10 anos antes do que os homens médicos.

Entre as mulheres, a idade média de morte é de 59,2 anos enquanto que entre os homens esta média é de 69,1 anos.

Para os homens, cerca de 30% das mortes no período ocorreram devido a Doença do Aparelho Circulatório (DAC) e 27% devido a neoplasias.

No caso das mulheres este quadro se inverte: 35% das mortes ocorreram devido a neoplasias e 19% devido a DAC’s. A neoplasia que mais leva as mulheres a óbito é a de mama e entre os homens, a de pulmão.

No presente estudo, chama-nos a atenção o fato de a idade de morte das mulheres médicas ser bem inferior à dos homens. Este é um dos principais dados deste estudo e leva à necessidade de reflexão sobre o estilo de vida destas mulheres. Estariam os compromissos profissionais e o papel de mãe chegando a um ponto insustentável, refletindo-se no desenvolvimento de neoplasias decorrentes do estresse, visto que a maior parte das mortes ocorre na faixa de 50 a 59 anos e são decorrentes de neoplasia? 

A partir deste trabalho sugere-se que seja necessário estimular hábitos adequados de saúde e prevenção de doenças entre os médicos, buscando informar e sensibilizar este grupo de profissionais para a questão do estresse laboral e dos riscos ocupacionais. Uma sugestão de atuação seria o oferecimento de uma rede de apoio em âmbito nacional, para prover assistência à saúde do médico, estimulando os exames de rotina para a detecção precoce de neoplasias e técnicas de primeiros socorros para eventos cardiovasculares. Além disso, é importante que sejam realizadas pesquisas periódicas sobre a morbimortalidade e a qualidade de vida dos médicos, visando ao desenvolvimento de medidas preventivas e modelos assistenciais adequados a este grupo.

 

Referências: Fadel M, Sembajwe G, Gagliardi D, Pico F, Li J, Ozguler A, Siegrist J, et al. Association Between Reported Long Working Hours and History of Stroke in the CONSTANCES Cohort. Stroke. 20 June 2019. DOI: 10.1161/STROKEAHA.119.025454.

https://www.cremesp.org.br/pdfs/Mortalidade%20v%20220312.pdf


Comentários

Responder
fidel Mzinga Simão Eduardo
21 Ago 2019
boa investigação
Responder
SOLON ZOROWICK
10 Ago 2019
Na região do "Mercosul, sub tropical* , os médicos que dormem perto da janela ( sleep near the window ) tem maior risco de ter um Acidente Vascular Cerebral - AVC Google: Exame Médico Guarujá / / 2019 / /
Responder
CONCEIÇÃO SANTANA
04 Ago 2019
Maravilha bem condensada é sem informativa
Responder
Maria de Jesus Guilherme
02 Ago 2019
Adorei este bulario
Responder
Fernando Martins Duarte
31 Jul 2019
Massa essa reportagem obrigado
Responder
Mariana aquino holanda pinto
30 Jul 2019
O resultado mais alarmante da pesquisa foi o de mulheres médicas morrerem cerca de 10 anos antes que homens médicos e portanto 20 anos antes da média na população feminina geral. A manchete " Dr, avc! Risco elevado para médicos" desvaloriza o esse dado alarmante! É necessário chamar atenção para a importância de exames preventivos periódicos e mais precoces para a classe, por exemplo, como uma tentativa de intervenção.