Central de Notícias

Tópicos

Notícias gerais

Restrição intermitente de energia melhora a eficiência da perda de peso em homens obesos: o estudo MATADOR

   Compartilhar notícia

O estudo MATADOR (do inglês Minimising Adaptive Thermogenesis And Deactivating Obesity Rebound, ou “minimizando a termogênese adaptativa e desativando a recuperação da obesidade”) examinou se a restrição de energia (RE) intermitente melhorava a eficiência da perda de peso em comparação com a RE contínua e, se assim, a RE intermitente atenuava as respostas compensatórias associadas à RE. A publicação do estudo foi feita no International Journal of Obesity.

Cinquenta e um homens com obesidade foram randomizados para 16 semanas ou de (1) RE contínua (CON), ou (2) RE intermitente (INT) completada como blocos de 8 × 2 semanas de RE alternados com blocos de 7 × 2 semanas de balanço energético (total de 30 semanas). Dessa forma, após quatro semanas em que suas necessidades calóricas foram calculadas, os participantes seguiram uma dieta contínua ou uma "dieta intermitente restrita" de duas semanas seguidas por duas semanas de folga, ao longo das 16 semanas.

Quarenta e sete participantes completaram a fase inicial de 4 semanas e iniciaram a intervenção (CON: n = 23, 39,4 ± 6,8 anos, 111,1 ± 9,1 kg, 34,3 ± 3,0 kgm−2; INT: n = 24, 39,8 ± 9,5 anos, 110,2 ± 13,8 kg, 34,1 ± 4,0 kgm−2). Durante a RE, a ingestão de energia foi equivalente a 67% dos requisitos de manutenção de peso nos dois grupos. Peso corporal, massa gorda (MG), massa livre de gordura (MLG) e gasto energético em repouso (GER) foram medidos ao longo do estudo.

Para os n = 19 CON e n = 17 INT que concluíram a intervenção por protocolo, a perda de peso foi maior para INT (14,1 ± 5,6 vs 9,1 ± 2,9 kg; P <0,001). INT teve maior perda de MG (12,3 ± 4,8 vs 8,0 ± 4,2 kg; P <0,01), mas a perda de MLG foi semelhante (INT: 1,8 ± 1,6 vs CON: 1,2 ± 2,5 kg; P = 0,4).

A alteração do peso médio durante os blocos de balanço energético da INT de 7 × 2 semanas foi mínima (0,0 ± 0,3 kg). Embora a redução no GER absoluto não tenha diferido entre os grupos (INT: -502 ± 481 vs CON: -624 ± 557 kJ d-1; P = 0,5), após o ajuste para alterações na composição corporal, foi significativamente menor na INT (INT : −360 ± 502 vs CON: −749 ± 498 kJ d-1; P <0,05).

Maior perda de peso e gordura foi alcançada com RE intermitente. Interromper a RE com os 'períodos de descanso' do balanço de energia pode reduzir as respostas metabólicas compensatórias e, por sua vez, melhorar a eficiência da perda de peso.

Fonte: International Journal of Obesity, vol. 42, nº 2, em fevereiro de 2018.


Comentários

Nenhum comentário enviado. Seja o primeiro a comentar!